Tom Sawyer (Desenho animado e filme)

31 12 2016

tom-sawyer-1Para começar esclarecendo, até certo tempo atrás eu sabia da existência do escritor Mark Twain e do personagem Huckleberry Finn, mas nunca havia lido nenhum livro.  Eu só conhecia Tom Sawyer pela famosa música do grupo canadense Rush. OK, e qual a relação entre uma coisa e outra?

A música do grupo Rush é baseada na obra de Mark Twain, mas só descobri isso após ver um clipe da música que foi gravado em um show, em que os personagens do desenho South Park fazem a abertura e o Eric Cartman canta: “Guerreiro dos dias modernos, seu nome é Tom Sawyer. Ele flutuava rio abaixo em uma balsa com um negro”. Após ter sido interrompido, lhe foi avisado que a letra estava errada, então respondeu: Tom Sawyer construiu uma balsa e flutuou rio abaixo com um negro. Eu li o livro”. Seu colega Kyle Broflovski avisa que esta história não é de Tom Sawyer, mas sim de Huckleberry Finn (veja o vídeo aqui)Foi ai que me bateu a curiosidade de saber um pouco mais sobre estes personagens e qual a relação entre eles.

O importante é saber que Mark Twain publicou o livro The Adventures of Tom Sawyer em 1836. Pelo que vi, em 1930 o livro foi adaptado ao cinema, ganhando diversas outras adaptações ao longo dos anos. Preferi me limitar ao filme de 1938, por ser a versão mais antiga que é possível encontrar no Youtube completo, legendado e colorido (veja o filme aqui).

Sobre o desenho, ele foi produzido pelo estúdio Nippon Animation, do Japão e foi ao ar em 1980 com 49 episódios. É possível assistir a todos episódios no Youtube com a dublagem em português de Portugal (eu assisti nos canais PsYkYd79 e Puppy Linux).

Comparando o desenho e o filme, a animação japonesa estendeu bem cada passagem da história, sem dizer que há muita coisa no desenho que não consta no filme que assisti, por exemplo o grupo de teatro que chega na cidade, a viagem que Tom faz ao Arkansas para levar documentos à tia Sally e a aparição de Arthur O’connor em seu balão de ar (ambas passagens com 4 episódios cada). Creio que o filme seja muito mais fiel ao livro, mas a produção do desenho se saiu bem no desenrolar de cada episódio.

Outro fato é a diferença na ordem dos acontecimentos. No filme, o índio Joe assassina o Dr. Robinson antes dos meninos fugirem e serem dados como mortos, já no desenho primeiro eles fogem e reaparecem no funeral para depois ocorrer o assassinato no cemitério (primeiro episódio da animação que dá um clima de suspense). Falando sobre a fuga e funeral dos garotos, no filme foram o Tom, o Huck e o Joe Harper. Já no desenho, foi o Ben Rogers que acompanhou os dois meninos ao invés do Joe.

Outro fato que apresenta certa diferença é na excursão que as crianças fazem, sendo que no desenho só o Tom e a Becky entram na caverna e logo se perdem, já no filme todas as crianças entram para passear na caverna. É nessa mesma caverna que o então foragido índio Joe estava escondido, sendo que no desenho ele não tenta atacar o Tom, mas morre caindo em uma gruta quando estava sendo perseguido pelo xerife. Já no filme, ele morre ao cair na gruta, mas nesse caso ele estava tentando alcançar o Tom para atacá-lo.

Deixando de lado as diferenças cronológicas, devido a época e o local das produções, alguns detalhes mudaram entre o filme e a animação. Acho que o mais impactante é que em 1938 o escravo Jim era apenas uma criança, e no desenho era um adulto. Huckleberry Finn era um rapaz corajoso e fumava cachimbo no filme, enquanto na animação dos anos 80 ele estava mais para um garoto medroso e ingênuo.

Vejamos a comparação entre personagens da aminação e do filme:

tom-sawyer

Tom Sawyer

tia-polly

Tia Polly

mary

Prima Mary

sid-sawyer

Sid Sawyer

huckleberry-finn

Huckleberry Finn (com seu cachimbo no filme)

becky-thatcher

Becky Thatcher

jim

O escravo Jim (uma criança no filme)

indio-joe

O vilão índio Joe

muff-potter

Muff Potter (o bêbado da cidade e comparsa do índio Joe)

O fato da animação ter 49 episódios deu espaço para os produtores trabalharem mais coisas do que no filme. Posso lembrar de dois momentos que fizeram pensar (creio que foi feito justamente para as crianças da época refletirem sobre o assunto): quando o Tom ajuda na fuga de um escravo e a captura do cavalo branco, em que o Tom também ajuda na sua fuga. Ambos episódios levantam o tema sobre a liberdade. Já um fato que ocorre tanto no filme quanto no desenho, é a ajuda que Tom dá ao Muff Potter, em seu julgamento, ao testemunhar em sua defesa.

Algo que eu achei muito curioso é que, apesar da história “As aventuras de Tom Sawyer” se passar no século XIX, um acontecimento de 1980 foi inserido no último episódio do desenho, no jornal que é lido pelo doutor  Mitchel (com a data de 1880) pode-se ver a notícia da morte de John Lennon:

john-lennon-shotted

Dr. Mitchel e o jornal com a notícia da morte de John Lennon

Muito poderia se falar sobre esta obra fantástica que já foi adaptada para diversos filmes, sem dizer em menções honrosas em outras séries, filmes e livros, mas poderia ficar muito repetitivo com outros materiais da internet e meu objetivo era só falar um pouco sobre minha experiência como expectador.

simpsons-e-padrinhos-magicos

Referência a Tom Sawyer nos desenhos Os Simpsons e Os Padrinhos Mágicos

Gostei muito de ter assistido todos os episódios da animação e de ter assistido ao filme, mas ainda fica a vontade de ler o livro. Também fico feliz por ter feito este post antes do fim de 2016!

 

Anúncios




O emburrecimento pelo ambiente que se convive

11 10 2016

burroDias atrás, estava tendo uma conversa em que fui questionado se seria possível “emburrecer” com o passar do tempo. Não sou nenhuma autoridade para falar do assunto, já que não tenho estudo nem formação para responder tal pergunta, mas neste último ano tenho pensado nisso já que vejo acontecer comigo mesmo.

Voltando à pergunta, não só acho que é possível emburrecer com o passar do tempo, mas é possível emburrecer pelo ambiente em que estamos inseridos diariamente. Lembro que durante o período da minha graduação (2010 – 2013), eu consegui obter uma alta curva de aprendizagem. Eu sentia que estar inserido no ambiente acadêmico me motivava cada vez mais a buscar conhecimento. Minha empolgação era tanta que, além da própria faculdade, em paralelo eu escrevi alguns artigos científicos que foram aceitos para publicação em anais de eventos, sendo que viajei para participar de alguns desses eventos, fui bolsista por um ano na qual desenvolvi um projeto de pesquisa, fiz cursos extracurriculares, obtive certificações e sempre fui participativo nas atividades da faculdade (pelo menos tentava, já que eu tinha um emprego formal e já estava casado).

Minha empolgação com tudo isso era tanta que eu tinha plena certeza que sairia da faculdade direto para um programa de mestrado, já que tinha a recomendação de alguns professores. Bom, a faculdade acabou, me formei, não fui aceito nos programas de mestrado e a vida seguiu. Diante de alguns tropeços, acabei voltando a trabalhar em um emprego que eu já tinha no passado, que é um serviço mais operacional e não exige (nem valoriza) formação ou conhecimento.

Nesse ambiente há profissionais muito bons no que fazem, mas são pessoas que na sua maioria estão ali a 5, 10, 20 anos ou mais. Por comodismo, falta de oportunidade ou interesse, esses profissionais não possuem certa formação. Creio que o modelo de administração da empresa preze por isso, pois o conhecimento pode dar asas às pessoas e eles podem perder a mão de obra atual e não conseguir repor. O que acontece é que nos envolvemos diariamente com as pessoas e acabamos por ter um nivelamento pela média cultural da maioria (nem sei se esta métrica isto existe) e todo aquele conhecimento que cultivamos com o tempo acaba ficando para trás, ele vai se perdendo por falta de uso. Algumas literaturas da área da gestão do conhecimento falam que o ativo mais valioso de uma empresa é o conhecimento e que o mesmo é o único que não sofre desgaste conforme é utilizado. Um exemplo é o aprendizado de um novo idioma: quanto menos você o utiliza, mais ele se desgasta.

 

Este texto é baseado em puro “achismo” do autor, e não deve ser utilizado como referência para nenhum tipo de estudo, já que está mais para desabafo do que para material de consulta.

 

Recomendo a leitura do post A vida profissional e o processo de emburrecimento diário na qual o autor Florisval F. Silva Junior fala sobre o assunto, mas dessa vez com a propriedade de um profissional da área.





Compra de vídeo games e o golpe

28 06 2015

Nota importante: O nome completo das pessoas envolvidas nesta situação está sendo ocultado pois isto se trata de uma suspeita de golpe. Não posso acusar ninguém de nada já que não finalizei a negociação e não pude comprovar se era falso ou não. Este post é só para mostrar como tudo aconteceu e o que me levou a crer sobre o golpe.

Desde o inicio deste ano (2015), estou colecionando vídeo games. Para facilitar a busca e reduzir o preço de compra, eu faço anúncios em grupos do Facebook informando que eu compro vídeo games que as pessoas não usam mais. Meu anúncio padrão é este:

Anuncio games

Leia o texto completo…





COBIT® 5 Framework em Português

5 11 2014

CobiT5Para quem deseja se preparar para a certificação COBIT® 5 ou simplesmente se atualizar em relação a esta versão do framework, já está disponível a edição em português deste material.

O COBIT® 5 é um modelo de negócios e de gestão global para governança e gestão de TI corporativa. Este volume documenta os 5 princípios do COBIT® 5 e define os sete habilitadores que apoiam a composição do modelo.

Para fazer o download basta clicar aqui e realizar um cadastro para obter o material gratuitamente. O material em PDF virá com seu nome (ou o nome utilizado no cadastro) no rodapé.

Compartilhem a vontade…

Veja também:

Material de apoio para a Certificação COBIT® 5

Certificação COBIT® 5

Como “passei” no exame de certificação COBIT® Foundation

Como NÃO passei no exame de certificação COBIT® Foundation





Resultado da 1ª Pesquisa de métricas para softwares de gerenciamento de incidentes – 2013

23 02 2014

pesquisaEstou devendo este post desde o ano passado, mas como muitas coisas mudaram do ano passado para este, acabei atrasando diversas coisas que eu havia planejado. 

Mas bom, antes atrasado do que não divulgar  resultado da 1ª Pesquisa de métricas para softwares de gerenciamento de incidentes – 2013 que realizei ano passado durante o desenvolvimento da minha monografia.

Para ter acesso ao relatório dos resultados, basta clicar aqui.

Para acessar as perguntas da pesquisa, basta clicar aqui.

Se você possui alguma dúvida, reclamação, sugestão ou interesse para a próxima, deixe seu comentário que eu vou entrar em contato com você.

Agradeço a todos que colaboraram dedicando seu tempo para responder a minha pesquisa e também a todos que se interessaram em ver este post. Com colaboração, poderei deixar esta pesquisa cada vez melhor e mais útil, pois este é um trabalho que pode influenciar, de alguma maneira, profissionais da área de TI.





Resumo do 2º semestre de 2013

12 01 2014

eventos2013Já faz algum tempo que eu não posto nada no meu blog, mas isto não significa que eu não esteja acompanhando as atividades por aqui. Bom, depois de um semestre muito tumultuado, agitado e bem desesperador, posso dizer que foi o que obtive os melhores resultados, a contar desde o inicio de 2010, quando ingressei na faculdade. E nada melhor do que relatar tudo de bom que aconteceu neste primeiro post de 2014.

Este foi o último semestre (8º período) do Bacharelado em Sistemas de Informação e, além de todas as disciplinas, eu tinha que desenvolver o tão temido TCC (Trabalho de Conclusão de Curso). Posso dizer que, apesar de todo o desespero, consegui obter média suficiente para aprovação sem exame, nas disciplinas normais. Em relação ao TCC, após ter obtido nota 10 no TCC 1, estava preocupado e achava que iria conseguir fazer um trabalho capaz de obter a média mínima para aprovação, mas felizmente consegui mais uma nota 10 para recompensar todas as noites em que fiquei acordado muito além do horário normal. Parte deste mérito foi graças a ótima orientação do profº Tadeu que, com muita paciência, mostrou-me o caminho certo a seguir.

Para não decair na produção acadêmica, foquei em alguns eventos e consegui os seguintes resultados:

Considerando toda a pressão do semestre, conseguir a aceitação destes artigos já foi bem gratificante.

Em breve, publicarei a versão final do meu TCC na área Sobre.

Agora, 2014, vou ao encontro de novos desafios, para por na prática o aprendizado obtido na faculdade e, algum dia, passar meu conhecimento adiante.

Um feliz 2014 à todos!





1ª Pesquisa de métricas para softwares de gerenciamento de incidentes – 2013

23 09 2013

pesquisa

SE VOCÊ TEM INTERESSE EM PARTICIPAR DA PRÓXIMA EDIÇÃO DA PESQUISA, INFORME SEU EMAIL PARA SER COMUNICADO ASSIM QUE A PESQUISA INICIAR.

__________________________________________________

Esta pesquisa é destinada à gerentes, coordenadores ou líderes de centros de suporte, independente do tipo e porte da empresa.
Nesta pesquisa você encontrará 45 questões divididas em 41 páginas, sendo que sua finalidade é identificar as métricas para softwares de gerenciamento de incidentes, que são mais relevantes para o mercado.

As métricas apresentadas nesta pesquisa, foram concebidas após um estudo das principais métricas presentes nos softwares de gerenciamento de incidentes mais utilizados pelas empresas participantes da Pesquisa de Melhores Práticas de Centros de Suporte (2011 – 2012), da HDI Brasil.

O resultado desta pesquisa será utilizado pelo seu criador em seu trabalho de conclusão de curso.

As informações de contato, que serão solicitadas, serão mantidas em confidencialidade e servem para dar validade a pesquisa, não sendo divulgadas publicamente em hipótese alguma.

Responda este questionário baseando-se nas necessidades atuais da sua empresa, e não em possíveis necessidades futuras ou desejos de melhorias. Peço que suas respostas sejam verdadeiras e confiáveis, pois serão utilizadas em um estudo sério.

Este questionário ficará disponível até as 23:59 do dia 04/10/2013 06/10/2013. Participando, você concorrerá ao sorteio de um livro!

Agradeço pelo seu interesse em participar.

Clique aqui para acessar a pesquisa.

Adicionado em 07/10/2013:

A pesquisa foi encerrada pois seu prazo chegou ao fim.

Obrigado a todos que participaram e que demonstraram interesse!





Alunos do IFC Campus Camboriú são selecionados no programa Ciência sem Fronteiras

1 05 2013

cienciasemfronteirasOs alunos Lucas Silva Ribeiro, Rafael Konell da Luz Romao e Renan Ramon Esser Hillesheim,  estudantes do curso de bacharelado em Sistemas da Informação, do Instituto Federal Catarinense –  Campus Camboriú, foram selecionados para participar do programa Ciência sem Fronteiras, na  modalidade Graduação Sanduíche. Os estudantes embarcam em julho deste ano e farão, em média, 1 ano e meio de intercâmbio. Para os que não foram selecionados, as próximas chamadas para a modalidade “Graduação Sanduíche” serão lançadas na segunda quinzena de maio de 2013.

O que é o Ciência sem Fronteiras?

Ciência sem Fronteiras é um programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. A iniciativa é fruto de esforço conjunto dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento – CNPq e Capes –, e Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC.

Leia o texto original clicando aqui.

Conheça mais sobre o programa Ciência sem Fronteiras clicando aqui.

Desejo sucesso aos três colegas selecionados e sorte para os futuros candidatos!





Vídeo: Tudo sobre ITIL v3 Foundation | Animado

23 04 2013

Vídeo falando sobre a Biblioteca da ITIL e Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM | GSTI) de uma forma totalmente prática e com exemplos.

Retirado do canal PMGeDucation:

Clique aqui para visitar o site oficial da PMGeDucation

 





2 anos no ar…

16 04 2013

aniversario_2_anosHoje o WordPress avisou que meu blog completou 2 anos no ar!

Com uma média de pouco mais de um post por mês (1,2 contando com esse), vejo que não é fácil alimentar um blog para que ele receba diversas visitas por dia. Cada postagem, por mais simples que seja, exige um certo tempo de preparo. E devido a correria da vida, acabo sempre “deixando pra depois” o blog.

Espero que nos próximos 2 anos, o blog cresça muito mais e continue sem a necessidade de inserir propagandas!

Acesse também pelo endereço:

http://www.janioantunes.com.br








%d blogueiros gostam disto: